segunda-feira, 19 de maio de 2014

O PROFETA ELIAS

Lição Bíblica: O Profeta Elias - Para ser contada em 03 dias

Base Bíblica: I Reis 16 a 18

1º CAPÍTULO:

Versículo a Memorizar: “Em Deus tenho posto a minha confiança; não temerei o que me possa fazer o homem. Salmos 56:11

Objetivo: A confiança em Deus; depender dos cuidados de Deus.

Desenvolvimento da História:

Vocês já ouviram falar sobre o Profeta Elias. Elias era um homem comum que cometia erros, sentia medo, às vezes, mas quando realmente importava ele confiava em Deus. Elias fez coisas incríveis com a ajuda de Deus e Deus fez coisas incríveis para Elias.
Algo que você deve saber antes de começar a história é que a terra de Israel, no tempo do profeta Elias, estava sob o reino de um rei chamado Acabe, uma pessoa má e idolatra , que acreditavam em um deus chamado Baal (o deus do tempo). Ele e a maioria das pessoas adoravam este deus e faziam muitas coisas que a Bíblia diz que nós não devemos fazer.
O rei Acabe tinha também uma mulher chamada Jezabel, o rei e sua esposa, ambos vieram de famílias muito mal. Juntos, eles ajudaram a fazer de Israel um lugar que Deus não gostava. É por isso que Deus enviou Elias, ele iria mostrar ao povo que Deus era mais poderoso e aquele que deveria ser adorado.
Tudo começou quando Elias foi enviado por Deus para entregar uma mensagem ao rei Acabe. Elias foi ao Rei Acabe e lhe disse: "Meu Deus disse que não haverá chuva nem orvalho nos próximos três anos, até que eu diga a ele." Acabe não acreditava que isso aconteceria porque ele adorava Baal, que era o senhor do tempo e acredita que esse deus era capaz de dar a chuva sempre que as pessoas pedissem a ele.
Agora é só pensar por um segundo, se houvesse nem a chuva e nem orvalho por três anos, os rios e lagos ficariam muito rasos ou secariam para sempre. Imaginem como seria viver sem agua para banhar-se, para lavar suas louças, roupas etc.
Depois que Elias disse ao rei Acabe o que iria acontecer, Deus disse para Elias se esconder. E Elias Foi viver escondido por um período em uma caverna.
E aí crianças, o que vocês acham que irá acontecer com o profeta Elias??
Hoje o que queremos lhe dizer é que Elias sempre confiou em Deus e em seu favor! E você como anda sua confiança em Deus?

2º CAPÍTULO

Versículo a Memorizar: “A farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará até ao dia em que o SENHOR dê chuva sobre a terra.” e/ou “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia N’Ele e Ele tudo fará” (Salmos 37:5)

Objetivo: A “Entrega” ao Senhor e a fé de que Deus suprirá todas as coisas e que Ele cuida de cada detalhe de nossa vida e fazer a vontade de Deus e não a nossa.

Desenvolvimento da História:

Relembrando o que contamos sobre o Profeta Elias. Lembram que ele disse ao rei Acabe o que iria acontecer, que por causa da maldade e idolatria (adoração a outros deuses) do Rei Acabe, da rainha Jezabel e do povo, Deus disse que não iria chover por três anos e disse para Elias se esconder, por causa da perseguição que ele consequentemente sofreria. Então, Elias ficou por um período em uma caverna onde havia água para ele beber e um tipo de pássaro chamado o corvo, lhe traziam pão e carne para o almoço e jantar todos os dias. Simples, não?! Como Deus faz coisas maravilhosas, imaginem ser alimentado todos os dias por pássaro, Deus realmente é criativo.
Passou-se algum tempo, o ribeiro que Elias estava bebendo secou e não havia mais água para beber. Então Deus disse a Elias para ir a um lugar chamado Sarepta, onde iria encontrar uma senhora que lhe daria comida e água para beber.
Elias, mais uma vez confiou em Deus e fez exatamente o que ele disse. Quando Elias chegou à entrada da cidade, viu uma mulher recolhendo lenha. Ele perguntou a ela: "Peço-lhe que me traga um pouco de água em um copo para que eu possa beber e um pequeno pedaço de pão?"
Porém ela disse: “Vive o SENHOR teu Deus, que não tenho bolo, senão somente um punhado de farinha numa panela, e um pouco de azeite numa botija; e vês aqui apanhei duas porções, e vou prepará-lo para mim e para o meu filho, para que o comamos, e morramos.”
E Elias lhe disse: “Não temas; vai, faze conforme à tua palavra; porém faze dele primeiro para mim um bolo pequeno, e depois farás para ti e para teu filho. Porque assim diz o SENHOR Deus de Israel: “A farinha da panela não se acabará, e o azeite da botija não faltará até ao dia em que o SENHOR dê chuva sobre a terra.”
E ela foi e fez conforme a palavra de Elias; e assim comeu ela, e ele, e a sua casa muitos dias.
Da panela a farinha não se acabou, e da botija o azeite não faltou; conforme a palavra do SENHOR, que ele falara pelo ministério de Elias.
Tudo estava indo bem até que o filho da mulher ficou doente e morreu. Ela foi a Elias para ajudar, ela pensou que Deus estava a castigá-la por todos os erros que ela tinha feito. Então Elias correu para a casa dela e disse: "Dê-me seu filho." Ele tomou o menino nos braços e o levou para o quarto de cima onde estava hospedado. Então, ele clamou ao Senhor: "Senhor, meu Deus, por favor deixe este menino viver de novo!"
Elias estendeu as mãos sobre o menino e clamou a Deus, por três vezes. O Senhor ouviu o seu grito e o menino começou a respirar. Elias pegou o menino e o levou pra baixo para a sua mãe e disse: "Olha, Deus respondeu a minha oração, o seu filho está vivo!"
Como a mulher abraçou e beijou o filho, a alegria retornava a sua vida. E ela disse a Elias: "Obrigado! Eu sei que o Senhor está com você”.
Hoje, crianças, aprendemos mais ainda a confiarmos inteiramente a nossa vida a Deus, vimos como ele cuida de nós com amor e zelo, mas temos que tomar atitudes, da mesma forma que o profeta disse a mulher para dar a comida primeiro a ele, sendo que era tão pouca, mas ela confiou e fez, devemos também fazer e darmos o melhor ao Senhor, dedicarmos a nossa vida ao Senhor e sermos filhos de Deus. Hoje, se você ainda não recebeu a Cristo como seu Senhor e Salvador é dia de aceita-lo, convida-lo para ser o Senhor de sua Vida. Deixar Cristo ser o Senhor significa não fazer exclusivamente a sua vontade, mas fazer a vontade do nosso Deus. (professor pergunte as crianças se eles sabem o que é fazer a vontade de Deus – exemplifique com coisas que podemos fazer e desagrada a Deus)

3º CAPÍTULO

Versículo a Memorizar: “Só o SENHOR é Deus! Só o SENHOR é Deus!” (I Reis 18:39)

Objetivo: O Senhor é o único Deus – a Ele toda adoração e Honra

Desenvolvimento da História:

Três anos tinham se passado sem que caísse uma gota de água do céu. Os animais estavam começando a morrer porque eles não tinham água nem comida.
Também durante este tempo a Jezabel ( a rainha que Deus não se agradava) estava tentando se livrar de todos os profetas de Deus como Elias (profeta é como um carteiro, que enviam mensagens de Deus para que possamos saber o que ele quer que façamos). O que Jezabel não sabia era que um dos servos do rei chamado Obadias, que era encarregado do palácio, escondia os profetas do Senhor em cavernas para mantê-los seguros.
Deus falou a Elias e disse-lhe: "Vá para Acabe e diga que eu mandarei chuva." Então Elias foi procurar o Rei Acabe. Quando Acabe soube que Elias queria vê-lo, ele disse em uma voz de raiva: "O que você quer Elias, você o agitador de Israel?"
Elias respondeu rapidamente: "Eu não sou o encrenqueiro. Primeiro seu pai e agora você tem desobedecido a Deus e outra vez você deixou de seguir seus mandamentos, e seguiu a Baal. Agora, envie um comunicado para todo o povo de Israel para se encontrar comigo no monte Carmelo. Traga todos os profetas de Baal e os falsos profetas de Jezabel."
Nenhum de nós deve desobedecer a Deus, mas Deus estava especialmente bravo porque Acabe seus pais foram maus. Reis tinha um monte de responsabilidade, como presidentes e primeiros-ministros. Eles faziam as leis e as pessoas escutavam a eles, e quando o rei de Israel determinou que eles não adorassem a Deus e que eles adorassem a Baal, infelizmente, muitos Israelitas – o povo de Deus – começaram a adorar a Baal.
Todas as pessoas se reuniram no Monte Carmelo. Elias se apresentou diante do povo e disse: "Quanto tempo vocês vão se desviar do caminho verdadeiro? Se o Senhor é Deus, segui-o;? Mas se Baal é Deus, segui-lo." As pessoas simplesmente estavam lá e não disseram nada.
Dêem-se-nos, pois, dois bezerros, e eles escolham para si um dos bezerros, e o dividam em pedaços, e o ponham sobre a lenha, porém não lhe coloquem fogo, e eu prepararei o outro bezerro, e o porei sobre a lenha, e não lhe colocarei fogo.
Então invocai o nome do vosso deus, e eu invocarei o nome do SENHOR; e há de ser que o deus que responder por meio de fogo esse será Deus. E todo o povo respondeu, dizendo: É boa esta palavra.
E disse Elias aos profetas de Baal: Escolhei para vós um dos bezerros, e preparai-o primeiro, porque sois muitos, e invocai o nome do vosso deus, e não lhe ponhais fogo.
E tomaram o bezerro que lhes dera, e o prepararam; e invocaram o nome de Baal, desde a manhã até ao meio dia, dizendo: Ah! Baal, responde-nos! Porém nem havia voz, nem quem respondesse; e saltavam sobre o altar que tinham feito.
E sucedeu que ao meio dia Elias zombava deles e dizia: Clamai em altas vozes, porque ele é um deus; pode ser que esteja falando, ou que tenha alguma coisa que fazer, ou que intente alguma viagem; talvez esteja dormindo, e despertará.
E eles clamavam em altas vozes, e se retalhavam com facas e com lancetas, conforme ao seu costume, até derramarem sangue sobre si.
E sucedeu que, passado o meio dia, profetizaram eles, até a hora de se oferecer o sacrifício da tarde; porém não houve voz, nem resposta, nem atenção alguma.
Então Elias disse a todo o povo: Chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e restaurou o altar do SENHOR, que estava quebrado.
E Elias tomou doze pedras, conforme ao número das tribos dos filhos de Jacó, ao qual veio a palavra do SENHOR, dizendo: Israel será o teu nome.
E com aquelas pedras edificou o altar em nome do SENHOR; depois fez um rego em redor do altar, segundo a largura de duas medidas de semente.
Então armou a lenha, e dividiu o bezerro em pedaços, e o pôs sobre a lenha.
E disse: Enchei de água quatro cântaros, e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha. E disse: Fazei-o segunda vez; e o fizeram segunda vez. Disse ainda: Fazei-o terceira vez; e o fizeram terceira vez;
De maneira que a água corria ao redor do altar; e até o rego ele encheu de água.
Sucedeu que, no momento de ser oferecido o sacrifício da tarde, o profeta Elias se aproximou, e disse: O SENHOR Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme à tua palavra fiz todas estas coisas.
Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo conheça que tu és o SENHOR Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração.
Então caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e o pó, e ainda lambeu a água que estava no rego.
E vendo todo o povo caíram sobre os seus rostos, e disseram: Só o SENHOR é Deus! Só o SENHOR é Deus!


E Elias lhes disse: Lançai mão dos profetas de Baal, que nenhum deles escape. E lançaram mão deles; e Elias os fez descer ao ribeiro de Quisom, e ali foram exterminados.
Então disse Elias a Acabe: Sobe, come e bebe, porque já tem o baraulho de uma grande chuva.
E Acabe subiu a comer e a beber; mas Elias subiu ao cume do Carmelo, e se inclinou por terra, e pôs o seu rosto entre os seus joelhos.
E disse ao seu servo: Sobe agora, e olha para o lado do mar. E subiu, e olhou, e disse: Não há nada. Então disse ele: Volta lá sete vezes.
E sucedeu que, à sétima vez, disse: Eis aqui uma pequena nuvem, como a mão de um homem, subindo do mar. Então disse ele: Sobe, e dize a Acabe: Aparelha o teu carro, e desce, para que a chuva não te impeça.
E sucedeu que, entretanto, os céus se enegreceram com nuvens e vento, e veio uma grande chuva.

Nesta lição de hoje, percebemos o poder de Deus, e que ele é o Unico e verdadeiro Deus. A Ele toda Honra e toda Glória! 















RETIRADO DO BLOG:http://caminhandocomamor.blogspot.com.br/

quarta-feira, 16 de abril de 2014

AS DUAS PÁSCOA

"Porque Cristo, nossa Páscoa, foi sacrificado por nós." ( 1 Co 5:7b)

Você irá contar a diferença da Páscoa Comercial e a Páscoa Bíblica.  


Embrulhei todos em papel celofane colorido, para não errar enumerei todos.

Você irá contar a diferença da Páscoa Comercial e a Páscoa Bíblica.  


 O ANIMAL DA PÁSCOA


(Frente e verso de todos.)

Você irá fazer uma comparação sobre os animais. Sobre o coelho que é o símbolo da Páscoa Comercial e do Cordeiro que é o símbolo da Páscoa e conte sobre a Primeira Páscoa. 



 O ALIMENTO DA PÁSCOA



Você fala sobre o Ovo da Páscoa símbolo da Páscoa Comercial e depois fala sobre o vinho e o pão que Jesus tomou sua última Ceia com os apóstolos.




A ATIVIDADE DA PÁSCOA

Mostrar que todos dormem na Páscoa depois de comer muito e que Jesus na sua última Páscoa foi orar.




O SENTIMENTO DA PÁSCOA


Muitos dão Feliz Páscoa mas nem sabem o sentido e nem estão felizes de verdade. Nós sabemos que na Páscoa Jesus foi crucificado e morto.



O PRESENTE DA PÁSCOA



Muitos recebem presentes e nem ficam felizes com que receberam. Jesus morreu por amor a nós, Ele é nosso maior presente. Jo 3:16



 O VAZIO DA PÁSCOA



No final da Páscoa Comercial fica um vazio na criança. Mas na Páscoa Bíblica Jesus ressuscitou e o túmulo dEle que ficou vazio. Mt 28:6

Toda tristeza se transformou em alegria!

Este foram os visuais que fiz para essa aula

Extraído do blog: http://blogtiale.blogspot.com.br/2011/04/as-duas-pascoas-5-aula.html

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

História de José


Texto base Gênesis 37.2-36.

Versículo de Memorização: "E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um varão como este em quem haja o Espirito de Deus." Gênesis 41. 38

Hora da história

J osé tinha dezessete anos, quando cuidava das cabras e ovelhas de seu pai, juntamente com seus irmãos. Jacó, o pai de José, o amava mais que os seus irmãos, porque ele nasceu quando Jacó já estava velho. Para demonstrar o seu amor por José , Jacó mandou fazer para ele uma túnica muito bonita, colorida.de mangas bem compridas, quando os irmãos de José viram que Jacó amava mais José que a eles, ficaram com ciúme e começaram a ter inveja dele.

Um dia José contou aos irmãos que tinha sonhado que eles estavam amarrados feixes de trigo no campo, e que os feixes dos Irmãos se inclinavam diante do feixe dele. Os irmãos de José, com muito ódio, disseram: 
-Você acha que vai ser nosso rei?

José teve outro sonho. dessa vez o Sol, a Lua e onze estrelas se curvam diante dele. Ele contou este sonho para seu pai e irmãos.
Jacó perguntou: - que é isso, José?!
Você acha que um dia nós nos curvaremos diante de você?
acha que vai ser o nosso rei?

O ódio e a inveja dos irmãos de José foram tão grandes que ele planejaram matar o rapaz. Ruben  um dos irmãos de José, não aprovou esta ideia e convenceu os outros a não matarem José mas jogá-lo num poço fundo e seco. ele queria voltar depois e tirar José daquele lugar. Então, os irmãos de José tiraram a túnica dele e o jogaram no poço.

Quando os irmãos de José avistaram uns mercadores que vinham passando, resolveram vender José para eles. Eles tramaram o seguinte: - Vamos matar um animal, sujar a túnica dele de sangue e falar para o nosso pai que encontramos a túnica de José cheia de sangue. E assim eles fizeram.

Enquanto Jacó chorava, achando que um animal tivesse comido seu filho, José era vendido pelos mercadores a Potifar, capitão da guarda do Faraó. Potifar gostou tanto de José que colocou o rapaz para ser seu empregado particular. Potifar confiava tanto em José, que não se preocupava com nada, a não ser com a comida que comia.

A mulher de Potifar começou a gostar de José. Mas, José era homem de Deus e não era certo. Então, a mulher, com raiva de José, mentiu para o marido, dizendo que José tinha agarrado ela à força. Potifar ficou com ódio de José e mandou prender o rapaz.

Um dia, o rei do Egito sonhou com sete vacas feias e magras que saíam do rio e engoliam sete vacas bonitas e gordas. o rei ficou muito preocupado e mandou chamar todos os adivinhos e sábios do Egito para decifrar esse sonho, mas ninguém conseguiu.

Um dos empregados do rei que tinha conhecido um homem na prisão que sabia decifrar sonhos. Então, o rei mandou chamar José e contou o sonho para ele. José disse para o rei que Deus daria a resposta certa. José disse: - Haverá sete anos de fartura e depois sete anos de miséria e todos terão muita fome. José ensinou ao rei o que ele deveria fazer para as coisas darem certo. O rei deu um anel a José e o nomeou a governador do Egito. Durante os anos de fartura, José juntou e guardou muita comida.

Qaundo o tempo de miséria chegou, pessoas de outras terras iam ao Egito comprar comida, inclusive os irmãos de José. Quando eles foram levados até José não reconhecerem o irmão e José fingi que não os conhecia, pois queria saber se eles iam se arrepender do que tinha feito com ele. José pediu para os guardas colocar objetos nos sacos de comida que eles tinha comprado, e prendeu o irmão mais novo deles Benjamin o filho de Jacó com Raquel.

Os irmãos não podia dar novamente esta noticia para o pai Jacó que a já estava muito velho, ele não ia suporta perde mais um filho da mulher que ele amava, os irmãos clamaram para que José deixassem eles preso e deixassem que seu irmão mais novo voltasse para os braço do pai.

Eles confessaram que já havia perdido um irmão falaram tudo que tinha feito com José , e por ter mentido para seu pai Jacó e não queria mentir novamente. José vendo que eles estava sendo sinceros os perdoou e logo depois.

José disse: Eu sou José, o irmão que vocês venderam como escravo. Vão depressa e digam para o meu pai que eu estou vivo e que sou muito poderoso aqui no Egito. Quando o pai de José soube que o seu filho amado ainda estava vivo e que era muito poderoso no Egito, ficou muito feliz e foi imediatamente morar com ele.
Jacó, José e seus irmãos viveram muito prosperamente no Egito.






















Esaú e Jacó - O valor do perdão

“[...] reconcilia-te primeiro com teu irmão e depois vem e apresenta a tua oferta” (Mt. 5:24).



Texto base Gn 25:19-34; 27:1-46; 33 - Hora da História Parte 2

Nessa mesma noite, dormindo ao relento, com a cabeça recostada em uma pedra, Jacó tem um sonho, onde havia uma escada que ligava o céu e a Terra. Nela subiam e desciam anjos e no meio vindo ao seu encontro estava o Senhor que lhe disse para que não temesse porque Ele o guardaria e lhe daria por herança toda aquela terra.
Jacó segue até o lugar onde sua mãe lhe enviara. Lá conhece sua prima Raquel, por quem se apaixona. Pede-lhe a mão em casamento e se compromete, já que não tinha dotes, a trabalhar por sete anos de graça para Labão. No dia do casamento, porém, descobre que fora enganado. Como esposa recebe Lia, a irmã mais velha de Raquel. Era costume, explicou-lhe Labão, casar a filha mais velha. Jacó não desiste e compromete-se  a trabalhar mais sete anos para se casar com sua amada.
Com Lia teve dez filhos. Raquel era estéril, e foi pela graça de Deus que, bem mais tarde teve um filho, José.  Posteriormente, já em idade bem avançada, tem outro menino, de nome Benjamim. Devido a complicações no parto, morreu, deixando viúvo Jacó.
Antes porém desse acontecimento, Jacó, quando então já havia se passado vinte anos que se encontrava em terras distantes, recebeu da parte de Deus, ordens para retornar a casa de seus pais. No meio do caminho, já próximo do seu destino, Jacó teve uma experiência sobrenatural com um anjo do Senhor, que, segundo consta na Palavra, travou uma luta intensa com ele por causa de uma benção. Ao final, fora abençoado e teve o seu nome modificado. Não mais se chamaria Jacó (enganador) e sim Israel (guerreiro de Deus).
O encontro entre os dois irmãos, superando todas as expectativas foi emocionante. Jacó temia que o irmão o matasse e preparou-se para essa possibilidade. Mas o irmão ao vê-lo derramou-se de saudades e o abraçou. Prevaleceu entre os dois o amor fraternal que é o sentimento esperado no seio de uma família. A partir desse momento tem início uma nova história na vida dos dois irmãos e os planos de Deus então, se cumprem. Dos doze filhos de Jacó, nasce as doze tribos de Israel.  Desse povo, Deus prepara o berço do nosso amado Salvador.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Esaú e Jacó - O valor do perdão

“[...] reconcilia-te primeiro com teu irmão e depois vem e apresenta a tua oferta” (Mt. 5:24).



Texto base Gn 25:19-34; 27:1-46; 33 - Hora da História Parte 1





Esaú e Jacó eram os filhos de Isaac e Rebeca. 
Seus pais oraram muito para que eles pudessem nascer. Rebeca, assim como Sara, 
era estéril. Mas, Isaac era temente a Deus e acreditava em seu poder de reverter 
aquela situação e não se cansou de orar e Deus o abençoou.

Já no ventre de Rebeca os gêmeos travavam uma grande luta. Certa vez, já incomodada
 com aquela situação, Rebeca perguntou o porque daquilo, ao que Deus lhe respondeu 
que era porque dentro dela havia duas nações. E assim, nascem os dois meninos. 
Esaú nasceu primeiro e Jacó veio em seguida segurando a canela de seu irmão.
Conforme o costume da época, a primogenitura ficava para o filho mais velho e assim, 
Esaú era o herdeiro. Os dois irmãos eram muito diferentes, tanto na aparência quanto nos 
interesses. Esaú gostava de caçar e nutria a afeição do seu pai. 
Já Jacó era mais caseiro e tinha o amor de sua mãe.
Certo dia, ao retornar de uma caça, Esaú estava exausto e faminto e Jacó havia preparado
 uma deliciosa sopa de lentilhas. Então Esaú, em tom de brincadeira disse que faria qualquer
 coisa por aquele prato de sopa. Jacó não vacilou e  o fez negociar a sua primogenitura. 
Nesse momento ele já demonstra o seu interesse nas bênçãos que seriam do seu irmão por 
direito.
Algum tempo  depois, quando o pai Jacó já estava velho e cego, anunciou que iria abençoar
 Esaú. Pediu que este lhe trouxesse uma caça e que preparasse uma bela refeição e depois 
o abençoaria. Ouvindo isso, Rebeca que compartilhava com Jacó o mesmo ideal de que as 
bênçãos fossem dadas a seu filho mais moço, antecipou-se e maquinou com Jacó um jeito de 
enganar seu esposo. Correu a preparar-lhe uma  saborosa refeição e instruiu Jacó a passar-se
 pelo irmão. E assim, aconteceu conforme haviam planejado.
Quando retornou e ficou sabendo o  que havia sucedido, Esaú quis matar o irmão. 
Temendo pela vida do filho, Rebeca o mandou a casa de seu irmão, Labão, que morava 
em Harã. Jacó seguiu o seu destino e, em meio a sua caminhada, veio-lhe o arrependimento,
 mas julgou que era tarde para retornar. Acreditava ser pouco provável que seu irmão
 o perdoasse naquele momento. Rasgou o coração para Deus e pediu-lhe que o ajudasse a
 achar um lugar para viver até que fosse o momento de retornar para sua casa.
Fonte:http://cursobiblicoinfantil.blogspot.com.br/2012/04/esau-e-jaco-o-valor-do-perdao.html