quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

História de José


Texto base Gênesis 37.2-36.

Versículo de Memorização: "E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um varão como este em quem haja o Espirito de Deus." Gênesis 41. 38

Hora da história

J osé tinha dezessete anos, quando cuidava das cabras e ovelhas de seu pai, juntamente com seus irmãos. Jacó, o pai de José, o amava mais que os seus irmãos, porque ele nasceu quando Jacó já estava velho. Para demonstrar o seu amor por José , Jacó mandou fazer para ele uma túnica muito bonita, colorida.de mangas bem compridas, quando os irmãos de José viram que Jacó amava mais José que a eles, ficaram com ciúme e começaram a ter inveja dele.

Um dia José contou aos irmãos que tinha sonhado que eles estavam amarrados feixes de trigo no campo, e que os feixes dos Irmãos se inclinavam diante do feixe dele. Os irmãos de José, com muito ódio, disseram: 
-Você acha que vai ser nosso rei?

José teve outro sonho. dessa vez o Sol, a Lua e onze estrelas se curvam diante dele. Ele contou este sonho para seu pai e irmãos.
Jacó perguntou: - que é isso, José?!
Você acha que um dia nós nos curvaremos diante de você?
acha que vai ser o nosso rei?

O ódio e a inveja dos irmãos de José foram tão grandes que ele planejaram matar o rapaz. Ruben  um dos irmãos de José, não aprovou esta ideia e convenceu os outros a não matarem José mas jogá-lo num poço fundo e seco. ele queria voltar depois e tirar José daquele lugar. Então, os irmãos de José tiraram a túnica dele e o jogaram no poço.

Quando os irmãos de José avistaram uns mercadores que vinham passando, resolveram vender José para eles. Eles tramaram o seguinte: - Vamos matar um animal, sujar a túnica dele de sangue e falar para o nosso pai que encontramos a túnica de José cheia de sangue. E assim eles fizeram.

Enquanto Jacó chorava, achando que um animal tivesse comido seu filho, José era vendido pelos mercadores a Potifar, capitão da guarda do Faraó. Potifar gostou tanto de José que colocou o rapaz para ser seu empregado particular. Potifar confiava tanto em José, que não se preocupava com nada, a não ser com a comida que comia.

A mulher de Potifar começou a gostar de José. Mas, José era homem de Deus e não era certo. Então, a mulher, com raiva de José, mentiu para o marido, dizendo que José tinha agarrado ela à força. Potifar ficou com ódio de José e mandou prender o rapaz.

Um dia, o rei do Egito sonhou com sete vacas feias e magras que saíam do rio e engoliam sete vacas bonitas e gordas. o rei ficou muito preocupado e mandou chamar todos os adivinhos e sábios do Egito para decifrar esse sonho, mas ninguém conseguiu.

Um dos empregados do rei que tinha conhecido um homem na prisão que sabia decifrar sonhos. Então, o rei mandou chamar José e contou o sonho para ele. José disse para o rei que Deus daria a resposta certa. José disse: - Haverá sete anos de fartura e depois sete anos de miséria e todos terão muita fome. José ensinou ao rei o que ele deveria fazer para as coisas darem certo. O rei deu um anel a José e o nomeou a governador do Egito. Durante os anos de fartura, José juntou e guardou muita comida.

Qaundo o tempo de miséria chegou, pessoas de outras terras iam ao Egito comprar comida, inclusive os irmãos de José. Quando eles foram levados até José não reconhecerem o irmão e José fingi que não os conhecia, pois queria saber se eles iam se arrepender do que tinha feito com ele. José pediu para os guardas colocar objetos nos sacos de comida que eles tinha comprado, e prendeu o irmão mais novo deles Benjamin o filho de Jacó com Raquel.

Os irmãos não podia dar novamente esta noticia para o pai Jacó que a já estava muito velho, ele não ia suporta perde mais um filho da mulher que ele amava, os irmãos clamaram para que José deixassem eles preso e deixassem que seu irmão mais novo voltasse para os braço do pai.

Eles confessaram que já havia perdido um irmão falaram tudo que tinha feito com José , e por ter mentido para seu pai Jacó e não queria mentir novamente. José vendo que eles estava sendo sinceros os perdoou e logo depois.

José disse: Eu sou José, o irmão que vocês venderam como escravo. Vão depressa e digam para o meu pai que eu estou vivo e que sou muito poderoso aqui no Egito. Quando o pai de José soube que o seu filho amado ainda estava vivo e que era muito poderoso no Egito, ficou muito feliz e foi imediatamente morar com ele.
Jacó, José e seus irmãos viveram muito prosperamente no Egito.






















Esaú e Jacó - O valor do perdão

“[...] reconcilia-te primeiro com teu irmão e depois vem e apresenta a tua oferta” (Mt. 5:24).



Texto base Gn 25:19-34; 27:1-46; 33 - Hora da História Parte 2

Nessa mesma noite, dormindo ao relento, com a cabeça recostada em uma pedra, Jacó tem um sonho, onde havia uma escada que ligava o céu e a Terra. Nela subiam e desciam anjos e no meio vindo ao seu encontro estava o Senhor que lhe disse para que não temesse porque Ele o guardaria e lhe daria por herança toda aquela terra.
Jacó segue até o lugar onde sua mãe lhe enviara. Lá conhece sua prima Raquel, por quem se apaixona. Pede-lhe a mão em casamento e se compromete, já que não tinha dotes, a trabalhar por sete anos de graça para Labão. No dia do casamento, porém, descobre que fora enganado. Como esposa recebe Lia, a irmã mais velha de Raquel. Era costume, explicou-lhe Labão, casar a filha mais velha. Jacó não desiste e compromete-se  a trabalhar mais sete anos para se casar com sua amada.
Com Lia teve dez filhos. Raquel era estéril, e foi pela graça de Deus que, bem mais tarde teve um filho, José.  Posteriormente, já em idade bem avançada, tem outro menino, de nome Benjamim. Devido a complicações no parto, morreu, deixando viúvo Jacó.
Antes porém desse acontecimento, Jacó, quando então já havia se passado vinte anos que se encontrava em terras distantes, recebeu da parte de Deus, ordens para retornar a casa de seus pais. No meio do caminho, já próximo do seu destino, Jacó teve uma experiência sobrenatural com um anjo do Senhor, que, segundo consta na Palavra, travou uma luta intensa com ele por causa de uma benção. Ao final, fora abençoado e teve o seu nome modificado. Não mais se chamaria Jacó (enganador) e sim Israel (guerreiro de Deus).
O encontro entre os dois irmãos, superando todas as expectativas foi emocionante. Jacó temia que o irmão o matasse e preparou-se para essa possibilidade. Mas o irmão ao vê-lo derramou-se de saudades e o abraçou. Prevaleceu entre os dois o amor fraternal que é o sentimento esperado no seio de uma família. A partir desse momento tem início uma nova história na vida dos dois irmãos e os planos de Deus então, se cumprem. Dos doze filhos de Jacó, nasce as doze tribos de Israel.  Desse povo, Deus prepara o berço do nosso amado Salvador.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Esaú e Jacó - O valor do perdão

“[...] reconcilia-te primeiro com teu irmão e depois vem e apresenta a tua oferta” (Mt. 5:24).



Texto base Gn 25:19-34; 27:1-46; 33 - Hora da História Parte 1





Esaú e Jacó eram os filhos de Isaac e Rebeca. 
Seus pais oraram muito para que eles pudessem nascer. Rebeca, assim como Sara, 
era estéril. Mas, Isaac era temente a Deus e acreditava em seu poder de reverter 
aquela situação e não se cansou de orar e Deus o abençoou.

Já no ventre de Rebeca os gêmeos travavam uma grande luta. Certa vez, já incomodada
 com aquela situação, Rebeca perguntou o porque daquilo, ao que Deus lhe respondeu 
que era porque dentro dela havia duas nações. E assim, nascem os dois meninos. 
Esaú nasceu primeiro e Jacó veio em seguida segurando a canela de seu irmão.
Conforme o costume da época, a primogenitura ficava para o filho mais velho e assim, 
Esaú era o herdeiro. Os dois irmãos eram muito diferentes, tanto na aparência quanto nos 
interesses. Esaú gostava de caçar e nutria a afeição do seu pai. 
Já Jacó era mais caseiro e tinha o amor de sua mãe.
Certo dia, ao retornar de uma caça, Esaú estava exausto e faminto e Jacó havia preparado
 uma deliciosa sopa de lentilhas. Então Esaú, em tom de brincadeira disse que faria qualquer
 coisa por aquele prato de sopa. Jacó não vacilou e  o fez negociar a sua primogenitura. 
Nesse momento ele já demonstra o seu interesse nas bênçãos que seriam do seu irmão por 
direito.
Algum tempo  depois, quando o pai Jacó já estava velho e cego, anunciou que iria abençoar
 Esaú. Pediu que este lhe trouxesse uma caça e que preparasse uma bela refeição e depois 
o abençoaria. Ouvindo isso, Rebeca que compartilhava com Jacó o mesmo ideal de que as 
bênçãos fossem dadas a seu filho mais moço, antecipou-se e maquinou com Jacó um jeito de 
enganar seu esposo. Correu a preparar-lhe uma  saborosa refeição e instruiu Jacó a passar-se
 pelo irmão. E assim, aconteceu conforme haviam planejado.
Quando retornou e ficou sabendo o  que havia sucedido, Esaú quis matar o irmão. 
Temendo pela vida do filho, Rebeca o mandou a casa de seu irmão, Labão, que morava 
em Harã. Jacó seguiu o seu destino e, em meio a sua caminhada, veio-lhe o arrependimento,
 mas julgou que era tarde para retornar. Acreditava ser pouco provável que seu irmão
 o perdoasse naquele momento. Rasgou o coração para Deus e pediu-lhe que o ajudasse a
 achar um lugar para viver até que fosse o momento de retornar para sua casa.
Fonte:http://cursobiblicoinfantil.blogspot.com.br/2012/04/esau-e-jaco-o-valor-do-perdao.html

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Visuais Esaú e Jacó











Esaú e Jacó


Isaac tinha quarenta anos quando casou-se com Rebeca. Desde o dia de seu casamento, pediram a Deus a benção de um filho. Deus ouviu suas preces, e Rebeca teve gêmeos: Esaú e Jacó.
Quando os irmãos cresceram, não se pareciam em nada. Esaú era forte e alto, gostava de estar no campo e se tornou um grande caçador. Era o favorito de seu pai. Jacó era magro e frágil, gostava da vida tranquila e era o preferido de sua mãe.
 


Esaú era o primogênito. Estava destinado a ser o chefe de um grande povo e seria abençoado pelo pai. Ele não se importava muito com o destino. Um dia, quando voltava do campo com muita fome, trocou a primogenitura com seu irmão por um prato de lentilha. Jacó estava comendo e Esaú disse:
"Dá-me esse prato que você tem, estou com muita fome. eu troco pela minha primogenitura!"
Então Jacó deu o pão e o prato de lentilha. Esaú comeu e bebeu, depois se levantou e saiu.
Quando Isaac estava já bem idoso e seus olhos não podiam ver, chamou seu filho maior e lhe disse:
"Estou quase morrendo. Vai ao campo caçar algo e prepare um bom prato de comida para mim. Comeremos juntos e lhe darei minha benção."
Rebeca estava escutando e disse ao filho menos, Jacó:
"Escute com atenção e faça o que eu disser. Traga dois cabritos para eu preparar com eles uma saborosa comida. Depois, você a levará ao seu pai e receberá a benção dele."
Vestiu Jacó com a melhor roupa de Esaú e cobriu-lhe os braços e pescoço com a pele do cabrito, para que Isaac não conseguisse diferenciá-los.
 

 
Jacó levou o prato de comida ao pai e disse-lhe: "Sou Esaú, teu primogênito". Isaac disse: "A voz de Jacó, mas as mãos de Esaú. Chegue mais perto e eu lhe abençoarei". Ao cheirar sua roupa, não teve dúvidas e o abençoou.
Ao voltar do campo, quando Esaú soube como seu irmão havia lhe roubado a bênção, ficou enfurecido e queria matá-lo. Para evitar a briga entre os irmãos, Rebeca e Isaac enviaram Jacó para outro país, à casa de um parente chamado Labão.

Os filhos de Isaque: Esaú e Jacó

 Objetivo: Ensinar às crianças que devemos nos relacionar bem com os membros de nossa família.
Não se esqueça de orar com as crianças no início e no final

Memorização de Versículo:  “Amemos uns aos outros, pois o amor vem de Deus.” 1ª João 4:7

 História: Gên.25: 19-34
Rebeca não podia ter filhos e isto a deixava muito triste. Isaque também ficava triste, pois queria muito ter filhos, por isso diariamente orava a Deus pedindo que Deus curasse Rebeca para que assim pudessem ter um filhinho.
Deus respondeu a oração e Rebeca ficou grávida e de gêmeos !!!!! Foi uma alegria imensa naquela casa.
Quando as duas crianças já estavam grandinhas na barriga de Rebeca começaram a se chutar, viviam se empurrando, mais que o normal. Ela então perguntou para Deus por que estava acontecendo aquilo.
Deus então disse: “isto está acontecendo porque dos dois sairão dois grandes povos,e um será mais forte que o outro.”
Na época Rebeca não entendeu muito bem o que Deus queria dizer (mas logo, logo nós entenderemos isto).
Então chegou o grande dia: O primeiro a nascer era ruivo e todo seu corpinho era bem peludinho, e então lhe deram o nome de Esaú. Logo em seguida nasceu Jacó agarrado ao calcanhar de Esaú.
Os meninos cresceram. Esaú se tornou um valente caçador, enquanto Jacó cuidava do rebanho da família. O pai como gostava de comer carne de caça preferia o filho Esaú; já a mãe preferia Jacó por ser ele mais caseiro.
Isto causava alguns desentendimentos entre os irmãos, principalmente porque na época o irmão mais velho (primogênito) tinha mais direito que os outros.
Certo dia Jacó tinha preparado um cozido que estava super, hiper, mega, plus cheiroso, isto queria dizer que também devia estar uma delicia. Esaú estava chegando de uma caça, cansado e faminto, quando sentiu aquele cheiro.
“Dê-me um pouco desta comida meu irmão” – disse Esaú.
“ Com uma condição”. - respondeu Jacó. “ Que em troca você me dê os direitos de filho mais velho”
Esaú aceitou na hora. Então Jacó lhe serviu o ensopado de lentilhas.
Hum isto vai causar um problemão.... mas isto já é outra história.

Esposa para Isaque

Deus deseja que todos se unam à Sua família
Versículo Bíblico: “O Senhor.,. enviará Seu anjo com você e coroará de êxito a sua missão.” Gênesis 24:40
Objetivos: *SABER que Deus deseja todos ligados à Sua família *SENTIR alegria de ser amado por Deus*RESPONDER falando a Deus como se sente acerca do Seu amor e convite
Mensagem: Pertencemos à família de Deus

Em avançada idade, Abraão envia seu fiel servo para procurar esposa para Isaque. O servo confia na orientação de Deus e é levado até Rebeca, que bondosamente oferece tirar água do poço para os camelos do servo, O servo explica sua missão à família de Rebeca. No dia seguinte, Rebeca concorda em ir com o servo para encontrar-se e casar com Isaque.
Enriquecimento:“Abraão se tornara velho, e esperava logo morrer; todavia, restava-lhe cumprir um ato, assegurando o cumprimento da promessa à sua posteridade.Isaque era o que fora divinamente designado para suceder-lhe como guarda da lei de Deus, e ser pai do povo escolhido; ele, porém, ainda era solteiro. Os habitantes de Canaã eram dados à idolatria, e Deus havia proibido casamentos entre o Seu povo e aqueles, sabendo que tais casamentos conduziriam à apostasia.
O patriarca receou o efeito das influências corruptoras que rodeavam seu filho. A fé habitual de Abraão em Deus, e sua submissão à vontade dEle, refletiam-se no caráter de Isaque; mas as afeições do jovem eram fortes, e ele era de uma disposição gentil e dócil. Unindo-se a alguém que não temesse a Deus, ele estaria em perigo de sacrificar os princípios por amor à harmonia.No espírito de Abraão, a escolha de uma esposa para seu filho era assunto de muita importância; estava desejoso de que ele se casasse com uma que não o afastasse de Deus. “Isaque foi altamente honrado por Deus, sendo feito herdeiro das promessas pelas quais o mundo deveria ser bendito; entretanto, aos quarenta anos de idade, sujeitou-se ao ensino de seu pai.
“Depois de obter-se o consentimento da família, a própria Rebeca foi consultada quanto a ir ela a uma tão grande distância da casa de seu pai para casar-se com o filho de Abraão. Ela acreditava, pelo que havia tido lugar, que Deus a escolhera para ser a esposa de Isaque, e disse: ‘Irei.”

Disponível em: http://anotacoesdabiblia.blogspot.com.br/2010/11/esposa-para-isaque.html

Imagens para flanelógrafo


REBECA
 ABRAÃO


SERVO DE ABRAÃO